Palmeiras tenta quebrar tabu e Atlético-MG quer espantar a crise em BH

O Palmeiras tenta ficar um passo mais próximo do título brasileiro neste domingo, em confronto com o Atlético-MG, às 17h (de Brasília), em Belo Horizonte. Para isso, o Verdão precisa superar o tabu de nunca ter vencido no estádio Independência, enquanto o Galo, sem triunfar desde o dia 30 de setembro, tenta barrar a crise no clube.

O Verdão já derrubou dois tabus neste Brasileirão. O principal deles foi ao vencer o São Paulo por 2 a 0 no Morumbi. O Verdão não vencia o rival em sua casa desde 2002. Além disso, o Maior Campeão do Brasil bateu a Chapecoense na Arena Condá pela primeira vez na história.

A equipe de Luiz Felipe Scolari tem duas dúvidas principais na escalação. Na lateral-direita, em que Mayke está suspenso, Marcos Rocha, após finalizar transição física, pode voltar ao time titular ou ser substituído por Jean, que atuou no último duelo, contra o Santos.

No meio, a vaga de Dudu, fora pelo terceiro cartão amarelo, está em disputa entre Lucas Lima e Guerra. Para o lugar de Willian, Gustavo Scarpa deve seguir entre os titulares, enquanto Moisés retoma sua vaga como meia centralizado à frente dos volantes.

O Verdão está invicto há 17 jogos no Brasileirão. A última derrota aconteceu no dia 25 de julho, por 1 a 0 contra o Fluminense, no Maracanã, resultado que causou a demissão do então técnico Roger Machado.

O recorde na era de pontos corridos do Campeonato Brasileiro pertence ao Corinthians, que emendou 19 rodadas sem tropeço, na edição passada, com 14 vitórias e cinco empates. Para igualar a marca, portanto, a equipe de Luiz Felipe Scolari precisa seguir imbatível contra Atlético-MG e Fluminense.

Do outro lado, a última vitória foi no dia 30 de setembro, quando o Galo bateu o Sport por 5 a 2, no Independência. Neste domingo, às 17h (de Brasília), o Atlético volta ao palco daquele triunfo, mas agora com um grande jejum e com um adversário bem mais indigesto: o Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro.

Para se ter uma ideia da situação do Atlético, a equipe passou todo o mês de outubro sem uma vitória e, para piorar, com apenas um gol. A queda de rendimento foi tão brusca e sentida que levou junto com o rio de lágrimas o treinador Thiago Larghi e o diretor de futebol Alexandre Gallo.

A dupla substituta, porém, ainda não conta com sorte. O técnico Levir Culpi foi o primeiro contratado, assumiu a equipe contra o Fluminense, mas ainda não venceu. E tempo não tem sido problema: o comandante tem tido semanas livres para trabalhar. Não consegue mudar o ritmo das coisas. Nos bastidores, Gallo foi esquecido e um velho conhecido dos atleticanos, o ex-atacante Marques, contratado. Também não venceu, embora tenha menos tempo que Levir em seu novo cargo.

Para piorar tudo já citado acima, a ausência de resultados bons fez o Galo perder a gordura que tinha na sexta colocação. Agora, com os mesmos 46 pontos já vistos em rodadas anteriores, já estão empatados com Santos e Cruzeiro – a Raposa não luta por nada –, e ainda tem o Atlético-PR encostando, com 43 tentos. O Furacão pode garantir vaga na Libertadores por dois caminhos, Brasileirão ou Sul-Americana, mas não escolhe muito e batalha onde for.

Em campo, ainda dúvidas. Para enfrentar o líder do torneio, o técnico Levir Culpi não sabe qual escalação colocar. Durante toda a semana, o treinador fez trabalhos técnicos e não abriu a escalação. Na sexta, não deixou a imprensa entrar para assistir os trabalhos.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG X PALMEIRAS

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 11 de novembro de 2018 (domingo)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilton pereira Sampaio (GO) – Fifa
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Bruno Raphael Pires (GO) – ambos Fifa

ATLÉTICO-MG: Victor, Emerson, Léo Silva, Maidana, Fábio Santos, Adilson, Elias, Luan, Cazares, Chará e Ricardo Oliveira
Técnico: Levir Culpi.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Jean), Edu Dracena, Antônio Carlos e Victor Luis; Felipe Melo e Bruno Henrique; Lucas Lima (Guerra), Moisés Gustavo Scarpa; Borja
Técnico: Felipão



Gazeta Esportiva