STJ nega habeas corpus ao ex-governador do Paraná Beto Richa

No início da noite desta quinta-feira (13/9), a ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou o pedido de habeas corpus da defesa do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB-PR). Com a decisão, o candidato tucano ao Senado continuará preso no Regimento da Polícia Montada, da Polícia Militar (PM), em Curitiba.O pedido havia sido protocolado pelos advogados do político pela manhã. O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) já havia negado a soltura na quarta-feira (12).

O ex-governador foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do estado do Paraná, na terça-feira (11). Ele é acusado de ter recebido propina por meio do programa estadual Patrulha do Campo, que faz a manutenção das estradas rurais.

Na mesma operação foram detidos temporariamente ainda a esposa dele, Fernanda Richa, e Deonlison Roldo, que é ex-chefe de gabinete de Richa. No entanto, a decisão desta quinta é específica para o candidato e não envolve a ex-primeira-dama.

Richa nega qualquer envolvimento no crime. “Enfrento com serenidade e confiança qualquer acusação, mas devo dizer que eu e minha família estamos sofrendo muito com o julgamento antecipado que nos está sendo imposto. Sou um homem público há mais de duas décadas, com a mesma honradez. Tenho a consciência em paz e sei que, no devido tempo, a verdade sempre se impõe. Garanto a você, que me conhece e para quem exerço com responsabilidade a vocação que Deus me deu: nada devo e sigo confiando na justiça”, informou a assessoria de imprensa do político em nota.

 





Redação Macuxi